Anderson Nunes de Carvalho Vieira

De onde vem a nossa comida?


Muitos acreditam que somente a agricultura familiar contribui para formação da mesa do brasileiro. Porém, o que muitos não levam em consideração é que médios e grandes produtores também ajudam a compor o “pão nosso de cada dia”. Outro erro grotesco é não definir o que é agricultura familiar. A Lei nº 11.326 de 24/06/2006 define juridicamente a categoria de agricultura familiar:

“No seu artigo Art. 3o a lei considera: "o agricultor familiar e empreendedor familiar rural aquele que pratica atividades no meio rural, atendendo, simultaneamente, aos seguintes requisitos: I não detenha, a qualquer título, área maior do que 4 (quatro) módulos fiscais; II utilize predominantemente mão de obra da própria família nas atividades econômicas do seu estabelecimento ou empreendimento; III tenha renda familiar predominantemente originada de atividades econômicas vinculadas ao próprio estabelecimento ou empreendimento; IV dirija seu estabelecimento ou empreendimento com sua família. § 1o O disposto no inciso I do caput deste artigo não se aplica quando se tratar de condomínio rural ou outras formas coletivas de propriedade, desde que a fração ideal por proprietário não ultrapasse 4 (quatro) módulos fiscais".

Assim, como exemplificação em relação ao tamanho dos módulos fiscais no município de Cuiabá, quatro módulos fiscais corresponde a uma propriedade com cerca de 120 hectares. Desta forma, o tamanho de uma propriedade varia de região e estado conforme define a legislação que trata do módulo fiscal.

No entanto, segundo o INCRA, qualquer propriedade de terra acima de 4 mil hectares já pode ser considerada latifúndio (grande produtor rural). Se considerarmos médios e pequenos produtores rurais como sendo pertencentes a agricultura familiar, temos a seguinte destruição: mandioca (87%), feijão (70%), carne suína (59%), leite (58%), carne de aves (50%) e milho (46%) são alguns grupos de alimentos com forte presença da agricultura familiar na produção.

Mas e o meu almoço e a minha janta? De onde vem?

Considerando o prato de comida tipicamente brasileiro (arroz, feijão, ovo, batata e salada de alface com tomate) temos a seguinte distribuição:

1 – TOMATE: O Brasil é o 8º maior produtor de tomate no mundo. Atualmente, a produção agrícola de tomate no Brasil tem maior predominância nas regiões do Sudeste e Centro-Oeste, sendo o Estado de Goiás o maior produtor. Está concentrado entre agricultores familiares e principalmente entre os médios produtores. (Fonte: Dieese https://www.dieese.org.br/projetos/informalidade/estudoSobreAproducaoDeTomateIndustrialNoBrasil.pdf).

2 – ALFACE: É a hortaliça mais produzida e consumida no Brasil. Segundo dados da ESALQ o Estado de São Paulo é o maior produtor de alface do país (http://pointer.esalq.usp.br/departamentos/lpv/lpv0621/ALFACE.pdf). Sua produção é quase que irrestrita ao grande cinturão verde do Estado, sendo quase que exclusivamente produzida por pequenos agricultores familiares.

3 – BATATA: De acordo com a Associação Brasileira de Batata o Estado de Minas Gerais é o maior produtor de batata no Brasil (http://www.abbabatatabrasileira.com.br/revista03_025.htm). O instituto salienta que a produção de batata está fortemente concentrada em várias propriedades de pequenos agricultores familiares que correspondem a mais de 82% da produção de batata do Estado.

4 – OVO: São Paulo é o maior produtor de ovos do Brasil. De acordo com dados do IBGE a concentração da produção de ovos está entre os Estados de São Paulo, Goiás, Espírito Santo, Ceará e Mato Grosso. Grande parte de sua produção está em terras de pequenos e médios produtores, (http://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2016-09/ibge-brasil-tem-maior-producao-de-ovos-de-galinha-em-29-anos).

5 – FEIJÃO: A produção de feijão está fortemente ligada a pequenos e médios produtores rurais. A contribuição de feijão por grandes produtores é tímida se comparada ao montante nacional. De acordo com o Canal Rural o maior produtor é o Estado do Paraná que também é o maior produtor mundial (http://www.canalrural.com.br/noticias/feijao/producao-feijao-deve-ser-maior-2016-17-64764).

6 – ARROZ: De acordo com pesquisas do IBGE o Rio Grande do Sul é o maior produtor de arroz do Brasil (http://www.brasil247.com/pt/247/rs247/118839/RS-%C3%A9-o-maior-produtor-de-arroz-do-pa%C3%ADs-aponta-IBGE.htm). Seu cultivo necessita de grandes extensões territoriais, fazendo com tal cereal seja produzido por – quase exclusivamente – grandes e médios produtores rurais.

7 – CARNE: Conforme dados do IBGE o maior produtor de carne bovina do Brasil é o Estado de Mato Grosso. A pecuária mato-grossense está concentrada em grandes propriedades rurais – através da pecuária extensiva – nos municípios de Cáceres, Porto Esperidião e Pontes e Lacerda. (http://sna.agr.br/brasil-pode-se-tornar-o-maior-produtor-de-carne-bovina-do-mundo/).

ALIMENTOS IMPLÍCITOS: Temos ainda no nosso prato tipicamente brasileiro alimentos implícitos que servem de tempero tais como o alho, cebola e o óleo de cozinha. Então vejamos:

ALHO: O alho é produzido, em sua maior parte, pela agricultura familiar. Concentrado na Região de Goiás, o alho é responsável por grande parte das receitas da agricultura familiar naquele Estado. (http://g1.globo.com/economia/agronegocios/noticia/2013/08/alho-importado-da-china-prejudica-os-precos-e-o-mercado-em-go.html).

CEBOLA: A cebola também é produzida em grande parte por pequenos agricultores familiares. Santa Catarina é o maior produtor de cebola do Brasil. (http://www.diarioav.com.br/sc-e-o-maior-produtor-de-cebola-do-pais-e-regiao-do-alto-vale-ganha-destaque/).

ÓLEO DE COZINHA (SOJA, MILHO, GIRASSOL): De acordo com dados da EMBRAPA, Mato Grosso é líder na produção de soja, milho e girassol, (oleaginosas que compõe mais de 98% dos óleos vegetais disponíveis no mercado brasileiro). Tanto soja quanto milho ou girassol são produzidos por médios e grandes produtores rurais, que demandam grandes extensões territoriais para o cultivo destas monoculturas. (https://www.embrapa.br/soja/cultivos/girassol).

Assim, médios e grandes produtores rurais possui significativa contribuição na composição da alimentação do brasileiro e não somente a agricultura familiar propriamente dita. Isso, se considerado apenas o almoço e janta de cada dia. Obviamente que outros produtos como doces, sucos, leites e derivados possuem expressão produtiva entre os agricultores familiares, enquanto que vestuário, calçado e produtos de exportação estão mais atrelado a grandes produtores.

O importante é desmistificar que somente a agricultura familiar possui importância na produção de alimentos que compõe a mesa do brasileiro. O agronegócio é para todos. Nossa alimentação passa tanto por pequenos quanto por médios e grandes produtores.

Anderson Nunes de Carvalho Vieira
  • Anderson Nunes de Carvalho Vieira Economista
  • Bacharel em Ciências Econômicas (2013) e Mestre em Agronegócios e Desenvolvimento Regional (2015) ambos pela Universidade Federal de Mato Grosso - UFMT. Também é Especialista em Ciência da Religião...

Comentários

Ainda não temos nenhum comentário nesse artigo, seja o primeiro :)